Acontece

Como equilibrar as prioridades dos programas de viagens das PMEs

Muitos funcionários, especialmente os millennials, consideram as viagens corporativas um privilégio. Mas para as próprias empresas, principalmente as pequenas e médias, elas vêm a um custo. Embora as vantagens desse tipo de deslocamento sejam evidentes, as companhias estão sempre buscando maneiras de oferecer benefícios, sem aumentar seus custos.

“Existe a necessidade de uma solução simples de viagens a negócios para pequenas e médias empresas que permita aos funcionários ter autonomia sobre suas reservas de viagens, ao mesmo tempo em que fornece aos gestores de viagens a supervisão necessária”, afirma o vice-presidente de Estratégia Global de Vendas do IHG, Jonathan Kaplan.

Em média, 37% das reservas de hotel e 15% das de companhias aéreas são feitas fora da política de viagens de uma empresa, de acordo com a GBTA. Isso acontece porque os funcionários estão procurando maneiras de obter mais controle sobre suas viagens.

Portanto, a solução para evitar isso é garantir que eles tenham mais a ganhar quando reservam dentro das diretrizes e canais preferenciais da corporação do que fora deles, proporcionando benefícios atraentes, como prêmios e recompensas.

Para as marcas de hospitalidade que desejam expandir seus negócios empresariais, por exemplo, ser capaz de integrar-se ao sistema de reservas existente na empresa é um pré-requisito. Se uma empresa trabalha com uma plataforma de reservas, as tarifas corporativas dos hotéis devem poder fluir para essa ferramenta e fornecer os mesmos descontos.

À medida que as pequenas e médias empresas continuam a aumentar seus gastos com deslocamentos, as soluções de viagens corporativas devem levar em conta suas necessidades específicas. E fazer parcerias com outros provedores de viagens, como locadoras de veículos e companhias aéreas, para fornecer uma solução única para todas as necessidades de viagens de negócios, é um dos caminhos para isso.

Fonte: Panrotas.com.br

x

x



x