Acontece

Conheça tendências em meios de pagamento no Turismo

Como a indústria de Turismo e Viagens pode se beneficiar dos meios de pagamento? Em um mundo com mudanças cada vez mais aceleradas, o mercado precisa estar atento ao que acontece hoje e às tendências de amanhã.

Pequenas, médias e grandes agências, consolidadoras, hotéis, enfim, a cadeia produtiva do Turismo tem de preparar para oferecer um serviço seguro e com uma experiência favorável ao seu cliente. Esse e muitos outros pontos são apresentados pela diretor de Soluções para o Comércio da Visa, Maria Isabel Noronha, em artigo exclusivo enviado ao Portal PANROTAS.

A base de seus argumentos se reflete em um estudo lançado este ano pela Visa. O Global Travel Intentions trouxe dados curiosos sobre o consumo de viagens em nível global.

Leia abaixo “Trabalha com Turismo? Conheça tendências que podem ajudar o seu negócio”:

“Se você trabalha com Turismo, já deve ter percebido que seus clientes definitivamente tornaram-se digitais. E acompanhar este movimento é essencial para continuar competindo neste mercado.

Segundo o estudo Global Travel Intentions, encomendado pela Visa, 95% dos brasileiros permanecem on-line enquanto viajam. Destes, 69% compartilham experiências nas redes sociais e 41% fazem reviews em sites.

E o que isso quer dizer? Acesso a uma conexão wi-fi é o esperado pelo turista, o foco agora deve ser em diferenciar-se por meio da experiência, pois é isso que será compartilhado e o que pode impactar, positivamente ou não, o seu negócio. Nós, como consumidores, estamos cercados por empresas e serviços digitais no nosso cotidiano – como aplicativos de transportes e streaming – e esperamos este mesmo tipo de experiência seamless em todas as outras esferas de nossas vidas – inclusive em nossas viagens.

Veja abaixo algumas tendências e tecnologias de pagamento que podem ajudar a indústria e as empresas de turismo a tornarem-se ainda mais relevantes e competitivas:

Conveniência e Experiência
A experiência do cliente torna-se realmente relevante quando entregamos ao menos uma destas três coisas: adicionamos conveniência, resolvemos um problema ou agregamos valor de forma diferenciada. Talvez, o ponto mais importante seja o uso do dinheiro em espécie.

Ainda de acordo com o estudo Visa Global Travel Intentions, 69% dos brasileiros levam dinheiro em espécie para suas viagens. No entanto, ao chegar no destino, 65% afirmaram pagar seus gastos com cartão. E mais: ao voltar para casa em viagens internacionais, apenas 29% convertem de volta à sua moeda de origem.

Esse contrassenso é explicado pelo receio do consumidor de não ter seu cartão aceito na viagem: o consumidor compra dinheiro em espécie (em viagens internacionais) ou faz o saque (em viagens domésticas) mas, ao perceber que seu cartão é amplamente aceito, ele prefere pagar de forma eletrônica a carregar notas de dinheiro, com risco de perdas e furtos.

Some-se a isso o fato de pagamentos móveis, realizados com o celular do viajante, estarem ganhando cada vez mais espaço por oferecer uma ótima experiência e ainda mais agilidade.

Com meios eletrônicos de pagamento, o consumidor não perde tempo em cotações com casa de câmbio, retirada ou saque de dinheiro em espécie, nem corre o risco de perdê-lo ou ser assaltado. Ao incentivar ao uso de formas mais digitais, seu cliente e seu negócio ganham mais tempo, praticidade e segurança.

Parcelamento, seguro e viajantes corporativos
O uso do cartão traz outros benefícios além da segurança. Os mais evidentes são a possibilidade de parcelamento de compras e os seguros oferecidos aos viajantes. O Brasil tem um grande volume de transações parceladas, inclusive no turismo, segmento caracterizado por tíquetes médios altos. O parcelamento de passagens aéreas, pacotes de viagens e até de hospedagens, é uma facilidade permitida pelo pagamento eletrônico e que ajudam o segmento a faturar mais.

Já no caso dos seguros, benefícios como seguro viagem, seguro contra acidentes pessoais, de perda de conexão ou de bagagem, já estão embarcados em muitos cartões. Além de ser uma forma de pagamento segura, rápida e conveniente para o viajante, o cartão também pode ajudar em eventuais imprevistos na viagem, benefícios não disponibilizados pelo dinheiro em espécie.

Custos?
A aceitação de pagamentos em dinheiro em espécie envolve custos muitas vezes não computados pelo estabelecimento comercial. Os custos mais comuns são o custo de pessoal com manipulação e conciliação de vendas, custos de movimentação, segurança e depósitos em bancos, sangrias de caixa e custos de conversão de moeda (no caso de dinheiro em moeda estrangeira).

Além disso, deve-se considerar também o risco de perda ou furto do dinheiro. A aceitação de meios eletrônicos de pagamento automatiza estes processos, diminui os custos de conversão de transações com cartões estrangeiros – a venda é recebida em reais.

Garantir uma boa experiência de compra é tão importante quanto a qualidade do produto ou serviço contratado. E isso passa pela conveniência e pela segurança oferecidas pelas tecnologias de pagamento nos momentos em que seu consumidor menos quer se preocupar com isso – como durante suas férias em família. Entender as mudanças do mercado e adaptar-se a elas é um dos caminhos para conquistar e encantar seus clientes e alavancar seus negócios!”

Fonte: PANROTAS

x

x



x