Acontece

Delta faz mudanças no transporte de animais de assistência

Não são apenas os animais de estimação que têm espaço nos voos. Enquadrados na categoria de animais de assistência — como cães-guias ou de suporte emocional — agora estarão submetidos a uma nova regulação nas operações da Delta Air Llines a partir do dia 1º de março. Segundo a companhia, a medida é tomada para garantir a segurança e comodidade de passageiros, animais e da tripulação, além de garantir o direito a assistência.

De acordo com a Delta, em dois anos o número de incidentes aumentou cerca de 84% — o que incluem sujeira e até mesmo a agressividade dos animais. “O aumento tem nos levado a crer que a falta de regulação propicia condições inseguras nas viagens aéreas”, pontuou o vice-presidente sênior da Delta, John Laughter.

De acordo com os novos procedimentos, todos os passageiros que necessitem transportar um animal de assistência deverão apresentar um atestado veterinário ou a carteirinha de vacinação com 48 horas de antecedência. Além disso, mantém-se a regra de o passageiro apresentar também um atestado médico que certifique a necessidade do acompanhamento.

NOVOS PROCEDIMENTOS
Além de assinar um termo que confirma que o animal terá um bom comportamento, qualquer passageiro que viaje com a companhia a partir do dia 1º de março terá de seguir as seguintes regras:

Cães-guias: Será necessário apresentar um formulário assinado pelo veterinário atestando as condições de saúde do animal, bem como o registro de suas últimas vacinas. Além disso, a companhia deverá ser avisada com pelo menos 48 horas antecedência.
Animais de suporte emocional: os passageiros que viajam com animais de apoio emocional ou psiquiátrico deverão apresentar os mesmos documentos que são solicitadas ao cão-guia. No entanto, ainda é necessário um laudo médico ou profissional de saúde mental que certifique a necessidade do passageiro em ser acompanhado. O viajante também deverá avisar a área sobre a condição com 48 horas de antecedência.

x

x



x