Acontece

Flexibilidades comerciais para passageiros com voos não afetados no Brasil

Toda reemissão realizada a partir das 14:00 LT SCL de 31JUL20 será regida pelas definições indicadas a seguir:

 

Descrição: Flexibilidades comerciais para passageiros com bilhetes emitidos no Brasil com voos NÃO afetados
Passageiros viajando: 1. Em voos NÃO cancelados ou reprogramados de 01 de março de 2020 em diante com reservas emitidas até 31 de julho de 2020.

 

2. Em voos NÃO cancelados ou reprogramados de 01 de agosto de 2020 em diante com reservas emitidas entre 01 de agosto e 31 de agosto de 2020.

 

Para passageiros com voos cancelados/reprogramados em todos os mercados, ver exceções aqui.

Poderão optar uma ÚNICA VEZ a UMA das seguintes opções:
Alteração de data voo ou rerouting
Passageiros com bilhetes emitidos até 31 de julio de 2020 viajando desde 01 de março de 2020 em diante: SEM MULTA, sujeito a disponibilidade da mesma cabine (sem diferença tarifária) e validade do bilhete.

 

Considerando o seguinte:

 

– Os itinerários combinados com voos de outras cias ficam sujeitos às diferenças tarifárias aplicáveis.

 

– A alteração deve ser realizada antes da saída do voo original, do contrário fica sujeito a toda regulamentação tarifária.

– Se o cliente não tiver as datas definida para alteração, mas informar ANTES da saída do voo, poderá optar por deixar o bilhete em aberto para alteração futura, sujeito às condições indicadas. Nestes casos, o bilhete deve ser modificado, sem a necessidade de contatar a LATAM de acordo ao seguinte:

– Bilhete emitidos através do “e-latam”: deve-se inserir um RMK no VCR com o código: NSCOV

– Bilhete emitidos através do GDSs: Reemitir o bilhete original como involuntário (mantendo a construção tarifária original) nas mesmas datas do voo original. Ao realizar a reemissão, inserir em Endosso: NSCOV e em seguida cancelar a reserva da viagem que o passageiro não realizará.

 

– Quando o passageiro entra em contato com as data do voo definida, a reemissão estará sujeita às flexibilidades indicadas, inserindo a marca no Endosso indicada na seção “Ao reemitir considerar” tanto para agências “e-latam” como para agências que reemitem de seus GDSs.

 

Passageiros com bilhetes emitidos entre 01 de agosto e 31 de agosto de 2020, viajando desde 01 de agosto em diante: a) Passageiros com viagem original (ida e volta) iniciando até 30 de novembro de 2020, poderão realizar a alteração SEM MULTA e dentro da validade do bilhete para voar sujeito a disponibilidade da mesma cabine (sem diferença tarifária) exceto nos meses:

De dezembro 2020 e fevereiro 2021,
De junho 2021 e dezembro 2021.

 

Se o passageiro deseja voar nos meses de exceção indicados, será permitido a alteração SEM MULTA, porém sujeito às diferenças tarifárias aplicáveis e validade do bilhete.

Os itinerários combinados com voos de outras cias ficam sujeitos às diferenças tarifárias aplicáveis.

 

 

b) Passageiros com viagem original (ida ou volta) iniciando a partir de 01 de dezembro em diante poderão realizar alterações SEM MULTA e dentro da validade do bilhete, sujeito às diferenças tarifárias aplicáveis. Ex: ida 23 nov 2020 e volta 05 dez 2020.

 

Em ambos os casos, a alteração deve ser realizada antes da saída do voo original, do contrário ficará sujeito a toda regulamentação tarifária.

Alteração de origem / destino
Passageiro viajando de acordo ao indicado nos pontos 1 e 2 SEM MULTA, sujeito às diferenças tarifárias e validade do bilhete
Ao reemitir considerar (em todos os casos): Inserir em Endosos:  FLEXCOV19

 

Inserir em OSI na reserva: CHG WVED DUE TO FLEX COVID19

Devolución
Passageiro viajando de acordo ao indicado nos pontos 1 e 2 Sujeito a regulamentação tarifária de acordo as processos e condições estabelecidas no Brasil.
Outras Considerações
 

– Validade do bilhete: Para bilhetes sem uso até 12 meses, a contar da data de início da viagem original. Bilhetes com viagem iniciada, estão sujeitos a estadia máxima da tarifa.

No entanto, para bilhetes adquiridos até 31 de agosto de 2020, com início da viagem original entre 01 de março de 2020 e 31 de dezembro de 2020, a alteração pode ser feita até 31 de dezembro de 2021, dependendo da disponibilidade do sistema.

– As flexibilidades incluem passageiros que desistiram de viajar ou tenham restrições fronteiriças para viajar a certos países (Ver detalhes sobre as restrições de entrar por país publicadas por Serviços ao Passageiro. Esta informação é apenas referencial e deve-se informar ao cliente revisar as restrições vigentes com a embaixada/consulado do país de chegada).

 

– Os passageiros no destino (com a viagem iniciada) e que, devido à redução da operação, não tenham opção de proteção para cumprir a estadia máxima de sua tarifa, podem alterar seu voo até 12 meses da data de ínicio da viagem (de acordo com as condições indicadas), mesmo que essa alteração exceda a estadia máxima da tarifa.

 

– Considerar que toda alteração de data que implique na modificação do “tipo de passageiro” (ex. INF e CHD) implica na cobrança das diferenças tarifárias.

 

– Em vôos saindo da Europa está proibido cancelar por no-show. Caso o passageiro avise até 24h depois da saída do voo, deve-se realizar a mudança sujeito a disponibilidade de cabine (sem cobrar diferença de tarifa, sempre que se mantenha origem/destino). Após este prazo, também devemos permitir voar sem multa mas sujeito a diferença de tarifa.

 

Importante:

– Aplica-se alteração de data/voo/rerouting mantendo mesmo origem/destino.

– Alteração de origem/destino implica em voar desde ou até uma cidade diferente da indicada no cupom de voo original.

– Os ancillaries associados ao bilhete estão sujeitos a mudanças e/ou devolução seguindo a ação tomada com o bilhete.

Fonte: Latam.com

x

[recaptcha]

x




[recaptcha]

x