Acontece

O emprego da tecnologia para a retomada na Atlantica Hotels

Companhia que gerencia mais de 130 meios de hospedagem pelo Brasil, a Atlantica Hotels tem em julho um período fundamental para seu plano de retomada. Até o final do mês, a empresa pretende ter 90% de sua oferta funcionando novamente e, para que isso ocorra, além de um protocolo de saúde e higiene já implementado nas unidades, a rede colocou em prática alguns ações que buscam alavancar as vendas e, principalmente, acelerou projetos de tecnologia.

Na reabertura de boa parte dos hotéis da marca, processos de check-in e check-out, pagamentos, consultas de cardápio e até abertura de portas devem se dar de maneira digital, assim como explica o diretor-executivo de Tecnologia e Inovação da Atlantica Hotels, Ricardo Norcia, em entrevista ao Portal PANROTAS.

O executivo explica a importância das ações tecnológicas para a rede no atual momento e detalha como esse departamento contribuiu em movimentos estruturais e práticos. Confira a entrevista logo abaixo:

PORTAL PANROTAS: No sentido prático, da operação hoteleira, como se dá a contribuição do departamento de TI?
RICARDO NORCIA: Melhoramos a experiência dos hóspedes pela adoção de tecnologias que minimizem o contato físico ao menor patamar possível, desburocratizem processos e eliminem papel e filas. A FNRH é preenchida no dispositivo do hóspede, antes mesmo de chegar ao hotel.

Nossos principais sistemas já estão integrados; nos hotéis que dispõem de abertura remota de porta, o hóspede pode ir direto ao quarto sem tocar numa chave. Intensificamos o uso do QRCode nas propriedades, assim nosso hóspede tem acesso à informação e cardápio de serviços sem manipular papel.

Manter os sistemas interligados não é tarefa fácil; para cada um é preciso desenvolver e manter múltiplas integrações, mas na Atlantica não é mais assim. No final de 2019, desenvolvemos uma plataforma para facilitar a integração dos nossos sistemas de tecnologia – o Middleware Atlantica. Com ele, não precisamos mais desenvolver inúmeras integrações para um produto; agora basta desenvolver a conexão até o Middleware para ter acesso ao DW, PMS, central de reservas, canal de vendas, distribuição, meios de pagamento, entre outros.

PP: Como a rede percebeu que as divisões de tecnologia podiam ser importantes nesse momento?
NORCIA: A pandemia acirrou a busca por tecnologias mais eficientes para a operação, que ajudam a controlar custos, a endereçar questões do contato físico impossibilitado, com uso massivo do smartphone dos nossos hóspedes.

Despesas com tecnologia sempre foram “tabu” para os hotéis. Diante deste cenário difícil, renegociamos todos os contratos de tecnologia e conseguimos bons resultados, seja pela isenção ou através de descontos proporcionais à taxa de ocupação. Não foi diferente com a linha de despesa mais cara de tecnologia hoteleira – independente se o hotel está aberto ou fechado, ele precisa usar o PMS para entregar suas obrigações fiscais, movimentar a contabilidade e nesta linha conseguimos condições diferenciadas com nosso parceiro de PMS.

Divulgação

Também recentemente, sabendo da importância dos recursos tecnológicos na retomada, a empresa lançou novos modelos de Day Use e Day Office

Também recentemente, sabendo da importância dos recursos tecnológicos na retomada, a empresa lançou novos modelos de Day Use e Day Office

PP: Em diversos nichos, atividades e mercados, a tecnologia auxiliou na aproximação, mesmo que virtual, de profissionais para elaboração de estratégias de trabalho. Isso vale também para a Atlantica? Como a TI participou nesse sentido?
NORCIA: Vencemos o desafio em tempo recorde de adequar toda infraestrutura e ferramentas tecnológicas para que os colaboradores tivessem seus expedientes e reuniões de trabalho minimamente afetados. Nossos colaboradores receberam os recursos necessários para trabalharem no regime de home-office: instalamos ferramentas colaborativas para todos, criamos políticas e manuais de procedimento que não existiam até então, entregamos notebooks aos colaboradores que não tinham este tipo de equipamento, além de conectar todos em nossa VPN, garantindo segurança e integridade nos acessos remotos aos sistemas da Atlantica.

PP: A pandemia foi um momento atípico no que diz respeito aos acordos de reservas, adiamentos e cancelamentos de diárias. O departamento de tecnologia teve alguma participação nesse tipo de criação de política?
NORCIA: Os canais de atendimento, PMS, central de reservas, vendas e distribuição estão integrados. Então, as negociações, políticas e acordos comerciais foram discutidos internamente para traduzir essas ações em produtos de tecnologia. Entregamos a plataforma de comunicação ConectAHI para as equipes de vendas, permitindo mais agilidade, proximidade e frequência de interação do time comercial com os hotéis e com o mercado.

PP: E na comunicação com os clientes e fornecedores. A divisão de TI participa com alguma implementação?
NORCIA: Entregaremos o novo portal do Investidor até o final do ano. Lá estarão disponíveis ferramentas de interação direta com a Atlantica, além de relatórios financeiros, newsletter e editais.

Nossos hotéis tem o Portal de Sourcing à disposição, totalmente automatizado, dando mais agilidade às solicitações de pedidos com a cadeia de fornecedores, permitindo interações em tempo real entre as partes com total transparência.

A plataforma ConectAHI de comunicação entre vendas e os clientes permite acesso a comunicados oficiais, realização de lives internas e externas, envio de vídeos gravados, contato via whatsapp direto com os hotéis e outras ferramentas de meeting.

PP: Por fim, também houve o lançamento de um programa para estimular a retomada comercial dos hotéis. Como a TI participa esse planejamento?
NORCIA: A TI apoia e participa ativamente das ações de marketing e vendas. Centrados na recuperação de receitas de forma mais acelerada, priorizamos os canais digitais, inclusive com a criação de uma plataforma de comunicação para o time de vendas.

Fonte: Panrotas.com.br

x

[recaptcha]

x




[recaptcha]

x