Acontece

Oito países que despontam como tendências para o turista

Não é novidade para ninguém que os viajantes sejam guiados por tendências. Seja por questões tarifárias ou mesmo por estarem em evidência, alguns destinos, ocasionalmente, chamam mais a atenção e apresentam crescimentos de vendas.

Presente na Flytour MMT desde os primeiros anos da operadora, o gerente de Treinamento, Ronaldo Faria, que viaja pelo Brasil e Exterior, tem acompanhado as principais tendências dos viajantes – sobretudo as internacionais.

“Há alguns destinos que nunca saem de moda, como Paris, Nova York, Orlando, Roma, entre outras grandes cidades. Porém há lugares que, conhecidos ou não, despertam a curiosidade dos brasileiros”, pontua Faria.

A seguir, confira as principais tendências:

PERU
Do mochileiro ao esotérico, o país que sempre teve bons atrativos, está sendo continuamente descoberto pelos brasileiros. “Existem pacotes que incluem outros países andinos – como Equador, Chile e Bolívia –, porém é o Peru por si só que tem conquistado os brasileiros.”

Além de Machu Picchu, as cidades de Lima e Cusco também têm conquistado os viajantes por sua cultura, gastronomia, boas opções de hospedagem, facilidade com o deslocamento e, obviamente, o preço acessível.

COLÔMBIA
Completa, a Colômbia se destaca como um destino de múltiplas facetas aos viajantes. Para além da capital Bogotá, os brasileiros têm se encantando com a multiculturalidade de Cartagena e, também, com o chamado “Caribe colombiano”, na ilha de San Andres.

“A Colômbia tem sido um destino ideal para o brasileiro: multifacetado, é um país econômico, com opções de roteiros ao viajante solo e para famílias, independentemente da idade, além de não ser necessário o visto”, explica, ressaltando apenas a exigência da vacina contra a febre amarela.

PORTUGAL
Por anos, o brasileiro tinha certa resistência para visitar a “terrinha”. Contudo, junto ao movimento emigratório de milhars, há também uma onda turística em ascensão. “Não há barreiras na língua, o que por si só já facilita, mas há ainda a similaridade cultural e gastronômica.”

Segundo Faria, é possível fazer um roteiro capaz de conhecer os principais atrativos portugueses em cerca de dez dias.

TURQUIA
Na Eurásia, a multiculturalidade da Turquia não para de despertar a atenção dos brasileiros. Para além dos voos de balão na Capadócia, o país abriga ainda características do Mediterrâneo em sua costa europeia, bem como uma forte influência árabe em sua porção asiática.

“O voo direto da Turkish foi um importante catalisador. O que antes seria uma viagem de mais de 25 horas e com escala, agora em cerca de 14 horas o brasileiro chega na Turquia.”

INGLATERRA E ESCÓCIA
É sabido que o domínio da língua inglesa não é um privilégio para todos os brasileiros e, até recentemente, era esse o fator que os impedia de desbravarem a terra da rainha. Hoje em dia, segundo Faria, há circuitos na Inglaterra e Escócia com guias que falam português.

“É claro que o preço da libra também espantava muitos turistas, mas se valer a pena, o brasileiro está disposto a gastar ou mesmo de economizar na viagem”, afirma o gerente. De acordo com ele, direta ou indiretamente, as referências históricas e culturais britânicas, desde as lendas medievais aos conjuntos musicais, também permeiam a dos brasileiros, o que também torna o destino atrativo.

TAILÂNDIA
Em alta nos últimos anos, e sem previsão de deixar de ser um dos países mais desejados dos brasileiros, a Tailândia tem ganhado ainda mais a atenção dos brasileiros com as conexões da Emirates, Qatar e da Etihad.

“Outro destaque é que o país tem também aberto espaço para os vizinhos asiáticos. Se o viajante já está na Tailândia, por que não estender as férias um pouco e conhecer a Indonésia, China ou Camboja?”, indaga.

LÍBANO
O pequeno país asiático demanda cerca de cinco dias para ser conhecido. O viajante que se fixar em sua capital, Beirute, provavelmente não levará mais que duas horas de carro para conhecer outras importantes cidades. Para chegar até lá, a Qatar voa até Doha e, de lá, mais um voo de cerca de três já permite que o viajante chegue ao país.

“Para este destino, os interessados costumam ser viajantes de mais de 40 anos ou que já tenham uma vasta bagagem cultural e esteja saturado de ‘mais do mesmo’”, pontua Faria. Segundo ele, a venda do destino torna-se mais completa com a inclusão do Egito e Marrocos.

Fonte: Janize Colaço – PANROTAS

x

x



x