Acontece

SP terá evento de economia criativa com impacto de R$ 39,7 milhões

O Ministério da Cultura e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) lançaram hoje o Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (Mic BR). O evento será realizado de 5 a 11 de novembro, em São Paulo, com a presença de empreendedores nacionais e internacionais.

Sete países sul-americanos já confirmaram presença: Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, além de 100 compradores internacionais de 30 países, entre setores de audiovisual, música, design, gastronomia, museus e patrimônio.

A programação terá espaços de capacitação, rodadas de negócios e apresentações artístico-comerciais, com expectativa de reunir cerca de 30 mil pessoas. As atividades estarão concentradas na Avenida Paulista, que servirá de corredor cultural, incluindo endereços como o Centro Cultural Fiesp, Sesc Avenida Paulista, Itaú Cultural, Casa das Rosas, Masp e Instituto Moreira Salles (IMS), entre outros. Serão gerados 851 empregos, sendo 460 diretos e 391 indiretos.

“Há uma conexão muito grande entre cultura e Turismo, pois esta é uma das formas pelas quais a gente pode rentabilizar ativos culturais e criativos. Por outro lado, esses ativos contribuem para o aumento da receita e interesse turístico”, explica o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, ao Portal PANROTAS. “A nossa estimativa é que o evento tenha participação de, pelo menos, mil estrangeiros, que vão utilizar serviços de hospedagem, consumo, transporte, gastronomia e, certamente, difundirão uma imagem positiva de São Paulo e do Brasil.”

A estimativa é que o Mic BR gere um impacto de R$ 39,7 milhões na economia brasileira, de acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). “A indústria criativa é a base de formação da percepção sobre o País e acreditamos nesse poder de levar uma imagem relevante do Brasil. Por outro lado, a indústria criativa no mundo inteiro cresce em ritmo mais acelerado que o restante da economia. Apenas no Brasil, estimamos em mais de R$ 160 bilhões o impacto dessa indústria no PIB”, afirma o presidente da Apex Brasil, Roberto Jaguaribe.

“A América do Sul, em particular, é uma região de muitas semelhanças em várias dimensões, apesar das variações internas. Precisamos fazer um esforço de aproximação para mostrar a América do Sul e a América Latina, em geral, de forma mais coesa”, ressalta. Para mais informações, acesse o site oficial.

Fonte: Marcos Martins – PANROTAS

x

x



x