Acontece

Turismo de reuniões e eventos cresce 12% na Argentina

Dados revelados nesta semana pelo Observatório Econômico do Turismo de Reuniões da Argentina apontaram um crescimento no número de encontros realizados no país em 2017. Ao todo, foram 5,4 mil eventos e outros 197 de incentivo, o que representa alta de 12% contra 2016.

O impacto econômico do segmento no ano passado, de acordo com a entidade, foi de cerca de 21,68 bilhões de pesos argentinos (algo em torno de R$ 3,27 bilhões), com 159,8 mil empregos gerados.

Somente a capital Buenos Aires foi responsável por 1,3 mil eventos no país – 24% do total. Em seguida aparecem a província de Buenos Aires (15%); Córdoba (13%); Santa Fé e Salta (8% cada); Mendoza e Entre Ríos (7% cada); Tucumán e Jujuy (3% cada); Chaco (2%) e o restante das províncias 10%.

Responsável pela apresentação dos resultados, o Secretário de Desenvolvimento e Promoção do Turismo, Alejandro Lastra, destacou a importância do segmento de Turismo de reuniões não apenas para atrair visitantes internacionais.

Ele também salientou a importância de oportunidade dos estrangeiros de conhecerem um pouco os destinos turísticos de lazer da Argentina e, assim, atraí-los para novas viagens ao país . Um dos pontos centrais para que isso aconteça é melhorar a conectividade para uma maior distribuição dos congressos em toda a nação.

“O Turismo de reuniões é um dos principais geradores de receitas para o país, mas também há a possibilidade daqueles que viajam em eventos em seguida voltarem com amigos ou família. Então age como um jogo de captura dupla: primeiro para o trabalho, e depois para o Turismo”, ressaltou também o presidente da Câmara Argentina de Turismo, Aldo Elías.

A duração média dos eventos alcançou 2,06 dias em congressos e convenções, 3,45 em feiras e exposições, e 3,71 em eventos esportivos internacionais.

CONGRESSOS INTERNACIONAIS
Segundo o ranking publicado pela ICCA, em 2017 os congressos internacionais cresceram 3% no mundo todo, com a realização de 12,5 mil eventos. A Argentina ficou em segundo lugar na América Latina, superada apenas pelo Brasil e acima do México e Colômbia; no globo, está na 21ª posição, com 199 eventos realizados e um crescimento de 6% na comparação ano a ano.

Fonte: Leonardo Ramos – PANROTAS

x

[recaptcha]

x




[recaptcha]

x