Acontece

Veja 5 dicas para melhorar o bem-estar do viajante corporativo

Uma recente pesquisa realizada pela Amadeus revelou que uma viagem corporativa pode se tornar um bom investimento para as corporações, além de ter potencial para impulsionar a carreira dos viajantes. O levantamento também aponta que, de forma geral, os funcionários se sentem felizes quando fazem viagens de negócios.

No entanto, apesar da satisfação dos viajantes, ainda existem pontos-chave que geram estresse e que poderiam ser evitados. “Neste sentido, é importante para as empresas criarem estratégias bem definidas para oferecer cada vez mais benefícios aos colaboradores, especialmente quando existe o objetivo de reter talentos dentro das corporações”, explica a diretora de Viagens de Negócios Latam da Amadeus, Victoria Gorzio.

De acordo com a Amadeus, as empresas devem criar abordagens equilibradas para uma gestão de viagens otimizada, colocando na balança tanto as necessidades do empregado quanto as demandas das companhias. Para isso, a empresa de tecnologia reuniu as cinco principais estratégias que ajudam a gerenciar o bem-estar dos viajantes corporativos.

1. Missão organizacional: incentivar a melhoria constante da gestão do bem-estar por meio de pesquisas com os viajantes para entender potenciais problemas, além de estar atento a oportunidades na coordenação da qualidade das viagens em geral.

2. Disciplina de viagem: diz respeito a temas relacionados à decisão de viajar ou não, como a importância e os objetivos da viagem e o uso de tecnologias virtuais que possibilitem a realização de reuniões à distância quando entende-se que o deslocamento não é necessário.

3. Políticas de viagem: manter uma política que seja mais flexível, como reduzir os voos indiretos, escolher a melhor acomodação para garantir o bem-estar do viajante e permitir o tempo de recuperação após uma viagem.

4. Gestão da saúde: é um ponto fundamental por se tratar do cuidado e atenção dados ao viajante, desde sua alimentação e práticas de atividades físicas à gestão de carga de trabalho e análise de risco de estresse de cada um.

5. Gerenciamento de disrupção: avaliar como prever e lidar com imprevistos que possam interromper as etapas de uma viagem, seja na escolha na comunicação com o viajante via mobile ou no uso de ferramentas de gerenciamento de alternativas para redução dos impactos durante a disrupção da viagem.

 

Fonte: Panrotas.com.br

x

[recaptcha]

x




[recaptcha]

x