Acontece

Veja como operadoras atravessam a crise e projetam retomada

Debatendo os caminhos para a retomada na visão das operadoras, aconteceu há pouco a quinta live da série Check Point. Em pouco mais de uma hora, o bate-papo trouxe a visão do CEO da Agaxtur Viagens, Aldo Leone Filho, a sócia-diretora da Orinter, Ana Maria Berto, o diretor executivo da CVC, Claiton Armelin, e o sócio fundador da Europlus Operadora, Peter Weber sobre a questão. A mediação foi do editor-chefe da PANROTAS, Artur Luiz Andrade.

A conversa começou com a revisão das ações tomadas por cada empresa para atravessar o momento. Nesse sentido, os líderes foram unânimes em lembrar que, quando a pandemia começou a prosperar no Brasil, as primeiras ações foram na direção de: implementar uma rotina home office com as equipes, seguir dando atenção total às demandas dos agentes de viagens e rever os custos.

“Desde o início da pandemia começamos um processo de reorganização da empresa. Dividimos os departamentos, mantivemos a Agaxtur funcionando e hoje temos uma rotina de reuniões diárias com todas as equipes”, lembra Leone. O executivo ainda ressalta que, mesmo em meio ao processo atual de isolamento social, alguns resultados vem sendo alcançados como o atendimento aos representantes das agências que antes eram Latam Travel e agora estão migrando. “Por semana, tenho recebido mais três, quatro franqueados. Hoje temos 75 lojas, contando com as que eram Latam Travel e e estamos fazendo um trabalho constante de atendimento”, completa.

Na parte financeira, Leone conta que encara o período atual como uma hibernação. “No financeiro nada nos assusta. O que se tem hoje é uma parada do fluxo de entradas, como se fosse uma hibernação, que começou em março e já começou a retornar. Ontem (29) vendemos 10% do fluxo normal, com viagens para o final do ano”, afirma

Ana Maria Berto destacou a solidez econômica da empresa

Ana Maria Berto destacou a solidez econômica da empresa

A sócia-diretora da Orinter conta que todo o processo tocado nesses últimos dois meses foi guiado pela preocupação de não deixar de atender os agentes de viagens. “Num primeiro momento, imediatamente conseguimos, com ajuda do TI, colocar toda a equipe em home office. Depois nossa preocupação foi deixar claro que o cliente continuaria tendo acesso direto a todos, inclusive à diretoria”, recorda. “Como segunda atitude revisamos os custos e renegociamos todo o possível. Fomos muito bem sucedidos nessa parte, inclusive”.

Depois desses dois passos, a Orinter passou a buscar o reforço de relacionamento com os agentes. “Aproveitamos esse momento para capacitar, mostrando que esse profissional é importante e faz a diferença. Com isso, tivemos alcançamos 750 novos agentes e tivemos dois mil novos cadastros na nossa página online. Foram 6,3 mil visualizações nas nossas lives”, enumera Ana Maria. Na parte das divisas, a executiva lembra que a empresa sempre teve “os pés no chão” e a solidez financeira ajudou nesse momento.

Emerson Souza

Peter Weber diz que aproveita o momento para repensar alguns métodos de trabalho

Peter Weber diz que aproveita o momento para repensar alguns métodos de trabalho

O sócio fundador da Europlus destacou que foi pego de surpresa com a pandemia e que teve que agir rapidamente. “Colocamos todo mundo em casa no meio de março, inclusive o comercial”, revela. Weber conta que, a aprtir desse momento, utilizou todas as medidas disponibilizadas pelo governo para manter a saúde financeira e agora concentra os esforços para prestar o melhor atendimento possível aos agentes, que também experimentam a pouca entrada de capital.

“Estamos agora utilizando este momento para nos reinventar e pensar em jeitos novos de fazer Turismo. Também temos apostado muito nas redes sociais e em capacitações. Crescemos cerca de dois mil seguidores desde o início do ano”, diz. Sobre as finanças, o executivo comenta que fez esforços para renegociar todos os custos possíveis.

Emerson Souza

Segundo Claiton Armelin, o departamento de tecnologia da CVC segue funcionando integralmente

Segundo Claiton Armelin, o departamento de tecnologia da CVC segue funcionando integralmente

Na CVC, conforme conta Armelin, o período começou com muitas reuniões para entender o que fazer. Além de colocar mais de três mil colaboradores para trabalhar de casa, a companhia organizou uma estratégia para repatriar viajantes que estavam pelo mundo, inclusive fretando aeronaves. A empresa também utilizou um expediente comum nesse momento: diminuiu carga horária e salários de boa parte dos colaboradores. A exceção vale para a área de tecnologia que, segundo o diretor, seguem trabalhando a todo vapor.

“Uma preocupação que temos agora é com parceiros, sejam agentes, lojistas e hotéis, entre outros. Estamos trabalhando em conversas com associações e com o poder público, tentando organizar meio de dar crédito para esses empresários”, afirma. “Precisamos que esses parceiros sobrevivam para a retomada”, completa.

Fonte: Panrotas.com.br

x

[recaptcha]

x




[recaptcha]

x