Cuidados para viajar com os pequenos

655

Written by:

Sharing is caring!

Dicas de autorização para um embarque seguro.
Viagens com menores exigem cuidados redobrados, sobretudo quando eles estão desacompanhados.*

viajar-com-crianças

O aumento das viagens de crianças acompanhadas dos pais ou desacompanhadas obriga o conhecimento das regras e cuidados redobrados. As famílias que planejam embarcar crianças para outros Estados ou países devem ficar atentas aos procedimentos necessários de autorização. Com organização, é possível aproveitar a viagem sem atropelos.

“Primeiro, é importante verificar, com antecedência, a necessidade de solicitar essa autorização. Em viagens pelo Brasil, é preciso autorização para menores de 12 anos se estiverem sozinhos”, orienta Jane Durand, agente de viagens do Grupo Casablanca Turismo.

Para viagens acompanhados dos pais ou de parentes de até terceiro grau (avós, tios diretos e irmão maior de 18 anos), não é necessário a criança ter uma autorização, desde que esteja com a certidão de nascimento, original ou autenticada, e os acompanhantes comprovem o parentesco.

De acordo com a Resolução nº 131, do Conselho Nacional de Justiça, crianças e adolescentes brasileiros que precisam viajar desacompanhadas para outros países, na companhia de apenas um dos pais ou acompanhados de terceiros somente podem embarcar com a devida autorização dos genitores ou de um deles.

Na cidade de destino, a identificação das crianças continua sendo importante. “O ideal é colocar na criança uma pulseirinha com informações básicas, como nome, telefone e hotel”, aconselha Durand. Para pais em primeira viagem, a agente de viagens diz que crianças de até dois anos normalmente não pagam passagem aérea ou têm descontos bem vantajosos (de até 90%), desde que viajem no colo de um adulto.

“Reserve o voo com antecedência para conseguir preços atrativos e garantir que a família viaje em assentos contíguos. Mas, algumas companhias aéreas cobram tarifa extra para menores desacompanhados”, diz. Se a criança viajar desacompanhada, o ideal é “colocar na bolsa uma identificação, com a cópia do RG, endereço do hotel e telefone para contato”, completa Durand.

Além da documentação, os cuidados com os pequenos são fundamentais. “A primeira coisa a se fazer quando se vai viajar de avião com crianças, independentemente da idade, é certificar-se de que ela não esteja doente. Com a criança doente, tudo fica um pouco pior. Se ela estiver resfriada, vai sentir mais dor no ouvido quando o avião pousar. Os pais devem levar remédios básicos em caso de febre inesperada ou dor no corpo. Uma consulta no pediatra antes é sempre bom para enumerar os devidos remédios para cada situação”, diz.

Para evitar problemas com outros passageiros, procure dar preferência aos horários em que seu filho durma mais. “Os pais devem respeitar o ritmo da criança. Os voos noturnos são ideais. Brinquedos e outros recursos de distração também são fundamentais durante um voo longo”, aconselha Durand. “E o principal: orientar a criança a ficar tranquila e não sair de perto da tripulação”, ressalta.

*Reportagem publicada pelo Jornal Diário do Nordeste dia 17/7/2014.

Sharing is caring!

Last modified: 21 de julho de 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *