E no meio do caminho, SUKHOTHAI

702

Written by:

Sharing is caring!

E NO MEIO DO CAMINHO, SUKHOTHAI

Depois dos dias em Bangkok, decidimos ir para o Norte da Tailândia. Mais especificamente em Chiang Mai, segunda maior cidade do País, que já havíamos visitado em 2013. Queríamos voltar para lá porque nossa estadia na Tailânda coincidiu com o Loy Krathong, o famoso festival das lanternas de Chiang Mai. Nosso plano era pegar um trem noturno rumo à cidade, contudo tivemos de mudálo: não tinha mais bilhetes. Como teríamos tempo, decidimos subir até alguma cidade interessante no caminho para Chiang Mai. Escolhemos a bela e antiga Sukhothai, famosa por suas ruínas bem conservadas. E foi uma decisão acertadíssima! A  cidade se mostrou uma jóia perdida e relativamente pouco visitada pela horda de turistas que desembarcam na Tailândia.

De bike, percorrendo os templos e ruínas de Sukhothai.

De bike, percorrendo os templos e ruínas de Sukhothai.

A DELICIOSA CHIANG MAI

Sabe aquelas cidades que te atraem, te apaixonam, de onde não se quer ir embora? Pois bem, Chiang Mai exerce exatamente isso com a gente. Nas duas vezes que visitamos essa cidade, não quisemos mais sair. Nessa última visita, fomos com mais tempo, pois chegamos alguns dias antes para o Loy Krathong. A zona turística fica dentro de uma muralha e, juntamente à ela, ficam uma infinidade de templos. Convém dar uma pesquisada antes para saber direitinho a quais ir, porque são muitos e para todos os gostos. Ou, quem sabe, andar a esmo pela cidade e deixar ela te surpreender. Particularmente gostamos muito do Wat Chedi Luang – que possui umas ruínas lindas atrás – e o Wat Srisuphan – que é todo de prata, mas mulheres não podem entrar.
Após alguns dias desbravando a cidade, chegou o dia do Loy Krathong. Para quem não sabe, o festival é famosíssimo na Tailândia por seus desfiles (cá pra nós, meio meia boca) e que culminam, no último dia, com uma revoada de balões de ar quente no céu, criando um espetáculo inesquecível e emocionante. Se você estiver pela Tailândia em meados de novembro, vale a pena se programar para estar na data do festival (que varia de ano para ano, já que é baseada no calendário lunar) na cidade. Ele também é comemorado em outras cidades, mas o forte mesmo é, sem sombra de dúvidas, no Norte e, mais especificamente em Chiang Mai.

A gente também entrou na festa! :D

A gente também entrou na festa! 😀

Com o término do Festival e a vontade de não sair do Norte da Tailândia, nos ocorreu uma ideia meio maluca: alugar motos e fazer um itinerário chamado Mae Hong Son Loop, passando por Mae Sariang, Mae Hong Son, Pai e retornando à Chiang Mai. Mas isso vai ficar pro próximo post, porque a aventura foi grande e os lugares que conhecemos, incríveis!

Até o próximo texto! 🙂

Sharing is caring!

Last modified: 12 de junho de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *