Dicas de São Paulo- Parte 1

30

Written by:

São Paulo terra da garoa, São Paulo dos arranha-céus, São Paulo da diversidade étnica e cultural, São Paulo da gastronomia diversificada e de um mundo de opções para quem visita a maior cidade do país.

São Paulo exige paciência e cuidado para conhecer seus detalhes que vão além da metrópole cinza e cheia de gente apressada. O mundo inteiro cabe na capital paulista e ela garante diversão, beleza, prazer e uma infinidade de outros conceitos que só aproveita quem sabe desvendar cada pedaço de cidade cheia de história e de movimento.

Eu vou a São Paulo praticamente todos os anos e cada vez que retorno, consigo enxergar uma nova cidade e novas atrações.

O Mercado Municipal, o Ibirapuera, o Bairro da Liberdade, a avenida Oscar Freire, os bares e restaurantes da Vila Madalena, tudo isso forma um labirinto de atividades imperdíveis. Aproveite tudo que São Paulo pode ofertar com as dicas da Casablanca Turismo. Vem ver tudo de perto com os mano e as mina!

 Quando ir

Eu gosto de ir a São Paulo em todas as estações porque a cidade muda de acordo com o clima. No inverno, entre os meses de junho e agosto, as temperaturas caem e a sensação de frio pode ser intensa. Bote um casaco, uma bota e aproveite o tempo. Já no verão, entre dezembro e março, as temperaturas sobem e as chuvas ficam mais fortes. Camisetas e chinelos são bem-vindos nesse período. No intervalo entre essas duas estações, o clima fica mais ameno e é uma ótima época para curtir o dia e a noite, principalmente quem gosta de fazer boas caminhadas pela cidade.

Como chegar

Há voos para São Paulo saindo de todas as capitais brasileiras. Latam, Gol, Avianca, Azul e outras companhias menores oferecem voos diários para Congonhas e Guarulhos.

 Passeios

 Bairro da Liberdade

A história da imigração oriental para o Brasil passa necessariamente pela Liberdade. O bairro nasceu e cresceu com a chegada dos primeiros imigrantes japoneses que vinham tentar a vida no Brasil, em 1912. Eles foram se instalando, abrindo comércios e ampliando negócios. Mas hoje em dia, a Liberdade também abriga outras etnias orientais como coreanos e chineses.

A dica para esse bairro é fazer tudo a pé. Conhecer os restaurantes, entrar nas lojinhas e mercados com produtos do outro lado do mundo. Aos domingos acontece uma grande feira livre, nas proximidades do metrô. Barraquinhas de comida e muitos souvenirs se espalham por várias ruas. Aproveite para comer o pastel, experimentar o picolé de meloconton e os noodles feitos artesanalmente.

Masp – Museu de Arte de São Paulo

O Masp fica no coração da Avenida Paulista e é um dos pontos culturais mais visitados da cidade. Seu prédio foi projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi e tem como principal característica, os pilares vermelhos que apoiam a estrutura principal. São 74 metros de vão livre onde acontecem vários eventos, na área externa, como a feira de antiguidades que acontece sempre aos domingos.

O Masp abriga hoje um dos mais importantes e ricos acervos de obras de arte do país. São mais de oito mil peças entre quadros, esculturas e instalações de grandes artistas como Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Botticceli, Delacroix, Renoir, Manet, Monet, Degas, Cèzanne, Picasso e muitos outros.  Além da mostra permanente, o Museu conta com mostras temporárias de obras específicas, muitas vezes recebendo artigos de outros museus dentro e fora do Brasil.

 

Estação e Parque da Luz

Ao descer na Estação da Luz se prepare para fazer uma visita ao passado e conhecer mais sobre a história do Brasil. O prédio é imponente e remete ao tempo dos barões do café e da alta sociedade paulistana que circulavam pela estação. A Luz era a estação de entrada também para os imigrantes que chegavam a São Paulo vindos de outros estados e outros países, como os nordestinos, italianos e japoneses. O edifício foi projetado pelo arquiteto inglês Charles Henry Driver e, hoje, é um dos principais cartões postais da cidade. A Estação também abriga o Museu da Língua Portuguesa, mas que está fechado devido a um incêndio ocorrido em 2015.

 

Pinacoteca do Estado

A Pinacoteca fica bem em frente à Estação da Luz e pode fazer parte de uma mesma visita. É um lugar incrível, num prédio maravilhoso cercado por um amplo jardim cheio de árvores e plantas ornamentais.  Lá antigamente, funcionava o Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo arquiteto Ramos de Azevedo. Lá estão mais de nove mil obras de arte, com destaque especial para a coleção de artistas brasileiros dos séculos XIX e XX, como Benedito Calixto, Portinari e Anita Malfatti.

 

Parque do Ibirapuera

É o pulmão verde da capital paulistana e uma das principais áreas de lazer da cidade. Foi construído para comemorar os 400 anos de São Paulo, possui mais de 1,6 km² de área e oferece várias atrações para pessoas de todas as idades. Tem um público cativo e que busca atividades diferentes. Muitas pessoas vão caminhar, correr, pedalar, fazer yoga e realizar outras atividades físicas nas quadras e jardins. Nos fins de semana a movimentação é maior, principalmente pela realização de exposições, feiras livres e shows artísticos e culturais. Muitas famílias também aproveitam os dias ensolarados passear com crianças, animais de estimação e fazer piqueniques no gramado. Lá também estão bons espaços destinados à cultura e à arte como o Museu Afro Brasil, Oca, o MAM o Pavilhão das Culturas Brasileiras e o Pavilhão Japonês. Da última vez que estive lá, em 2016, o planetário estava fechado para reforma.

Avenida Paulista

Ir a São Paulo e não ir na paulista é como ir a Roma e não ver o Papa. É o principal centro financeiro do país mas também é um espaço instigante, cheio de cultura e de lugares incríveis. Bote o tênis ou seu sapato mais confortável e saia a pé para percorrer os três quilômetros mais badalados de São Paulo. Ela foi inaugurada lá atrás, no fim do século XIX, e já foi endereço da aristocracia paulistana, com suas mansões em estilo colonial e art déco. Hoje, os arranha-céus dividem espaços com cafés, livrarias, restaurantes e muitas lojas. Tem até u espaço para contemplar a natureza, o Parque Trianon, com seus jardins arborizados e muita área verde em meio ao caos dos carros e asfalto. Depois que ganhou uma ciclovia, a paulista também virou roteiro para passeios de bike, o que pode deixar a viagem muito mais divertida.

 

Mosteiro de São Bento

Ele tem mais de quatro séculos de história e é o marco fundamental do centro de São Paulo. O Mosteiro faz parte de um complexo maior que também inclui a Basílica de Nossa Senhora da Assunção, a Faculdade de São Bento e o Colégio de São Bento. Lá dentro a beleza e harmonia tomam conta do lugar com vitrais, mosaicos, pinturas e esculturas que decoram a igreja. Pela manhã, as missas são em latim e os monges apresentam peças em canto gregoriano. No último domingo do mês há um serviço de brunch também feito pelos monges beneditinos. Além das guloseimas preparadas pelo staff da igreja, eles oferecem também apresentações de música clássica e barroca.  Chegue cedo porque é um evento beneficente muito disputado.

Continua…

Last modified: 14 de outubro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *