Cariri – arte, fé e natureza

1084

Written by:

Sharing is caring!

Padre cicero dizia que No Juazeiro do Norte cada casa deveria ter uma oficina, em cada quintal um oratório. Foi assim que a região se desenvolveu, criando raízes no trabalho e na espiritualidade. Nascendo assim o artesanato no meio do Povo e o sustento para as famílias.

O Cariri cearense é uma região cheia de cultura, religiosidade e belezas naturais. Em cada cidade existem atrações que desvendam a história de um povo forte e determinado, com hábitos e costumes bem peculiares do Nordeste Brasileiro. Suas festas populares, sua gastronomia e sua arte são seu maior patrimônio. Aproveite esse roteiro feito para desvendar a terra de mil encantos no sul do Ceará.

Faça esse roteiro em pelo menos quatro dias, para sentir toda a magia das cidades que compõem o Cariri.

1. Fazer uma trilha de bike no Crato.

Para isso existem três boas opções:

– Trilha de Belmonte – possui um percurso bastante plano e sombreado, com cerca de 17 km no interior da floresta do Araripe. Ela é mais fácil de ser seguida e permite o uso por iniciantes u pessoas com menos disposição para grandes trechos. Passe nos mirantes do Serrano e da Coruja para apreciar a vista do vale.

– Trilha do Picoto – Esse trajeto deve ser feito com o auxílio de um guia experiente. É mais difícil, mais longa (24km) e exige mais resistência do trilheiro, mas que compensa com o destino final. O caminho, sinuoso como um labirinto, leva o visitante a um dos lugares mais incríveis da Chapada: uma velha cruz de madeira fincada a cerca de cem anos por moradores locais.

– Trilha Batateira – Localizado no Parque Estadual Sítio Fundão, a trilha é cortada pelo rio Batateira e próxima à cascata do Lameiro. Sua nascente guarda histórias e lendas indígenas. Lá existe uma casa feita de taipa, barro batido e madeira, comum no Nordeste, com um primeiro andar, sendo a única casa do Brasil registrada neste modelo de construção. O local também possui ruínas de um engenho de cana-de-açúcar, erguido em meados de 1880.

Sugerimos guias de caminhadas e de bicicletas para os viajantes. O Aluguel das bicicletas e equipamentos é feito com os guias indicados.

2. Conhecer o Geopark do Araripe

– Lá estão localizados os nove sítios paleontológicos e geológicos classificados segundo a história da terra e prevalência científica, os Geossítios. De acordo com as pesquisas, a história geológica da Bacia do Araripe se iniciou há aproximadamente 150 milhões de anos e a região se desenvolveu lentamente como uma grande área de depressão na superfície terrestre, em meio a rochas duras e muito antigas.

– Nesta área de depressão os rios carrearam e acumularam grande quantidade de fragmentos de rochas, areia e lama proveniente das regiões montanhosas mais altas.

– A região abriga a principal jazida de fósseis cretáceos do Brasil, incluindo a maior concentração de vestígios de pterossauros de todo o planeta, além de 20 ordens diferentes de insetos fossilizados, com idade aproximada 110 milhões de anos.

3. Fazer o roteiro da fé e da cultura

– O passeio começa na Colina do Horto, onde os devotos conhecem a estátua do Padre Cícero e o Museu. Muitos se aventuram na trilha do Santo Sepulcro, um trajeto de quase seis quilômetros, saindo pela via atrás da estátua. É por esse caminho que os beatos e devotos iam até a capela para fazer orações e penitencias. Lá fica o túmulo do beato Manoel João, outro ícone da religiosidade local.

Não deixe de dar três voltas na bengala da Estatua e fazer 3 pedidos.

– Visite a casa azul é lá onde funciona a sede das artesãs “Mulheres da Palha”, na Rua do Horto. As mulheres artesãs, se reúnem nas calçadas de suas casas e entre uma conversa e outra, vão produzindo seus trabalhos, que com beleza e leveza ajudam no orçamento doméstico.Elas fabricam, chapéus, bolsas e acessórios. Na casa as mulheres fazem reuniões, encontros e dão acabamentos aos mais diversos produtos.

 

 

– Um dos passeios imperdíveis é conhecer a Lira Nordestina, editora especializada em impressão de cordel e que hoje abriga a Tipografia São Francisco. Lá, os artesãos da Xilogravura negociam suas obras e os cordelistas imprimem seus folhetos. Um programa essencial para os amantes da cultura popular.

– O Centro de Cultura Popular Mestre Noza é um dos mais importantes do Nordeste. Foi idealizado para homenagear o artista popular Inocêncio Medeiros da Costa e expõe obras de mais de 100 artesãos do Cariri. Eles recebem apoio técnico e comercial para distribuírem as obras por todo os estados do Nordeste. As obras são feitas, em sua maioria, de couro, barro e madeira.

– Conheça o Memorial do Padre Cícero, onde podemos conhecer parte da História do padre Cícero e de juazeiro. Objetos que pertenceram ao Padre, vestes usadas por ele e mais de 3 mil livros, cordeis, jornais e periodicos, além de fotografias.

– Próximo ao memorial está a Casa do Seu Lunga, Joaquim dos Santos Rodrigues, o comerciante mais abusado do Brasil também era poeta e repentista. Na sua loja de sucata, no centro de Juazeiro do Norte sempre recebia as pessoas para contar causos e histórias. Ganhou fama de ser impaciente e irônico com quem fazia perguntas óbvias e virou ícone de várias gerações.

4. Fazer o roteiro social e artístico

– Não é possível ir a Nova Olinda e não conhecer a oficina do Seu Espedito Seleiro. Ele conta que um dia, no ano de 1930, um homem chegou à pequena oficina de seu pai, Raimundo Veloso, conhecido fabricante de gibões de couro, e disse que queria uma sandália diferente, de solado retangular e sem marca da curva do pé. Depois de dois dias o calçado estava pronto e quando o homem foi buscar, seu Raimundo perguntou para quem era a sandália tão diferente. A resposta foi uma grande surpresa: – é para o Capitão Virgulino! Seu Raimundo disse que podia levar a sandália e que não cobraria pelo serviço. Depois de algum tempo, Capitão Virgulino chega à oficina de seu Raimundo para a agradecer o presente e deixa como lembrança seu próprio punhal. Essa história dá origem a um dos exóticos elementos da moda no Ceará e no Brasil. A chinela de couro colorido que sai das mãos de Espedito Seleiro.

Hoje, o ateliê do artesão se transformou numa grife famosa e disputada por muitos estilistas e outras personagens do cinema, da Tv e do design. Atualmente as peças de seu Espedito são comercializadas por empresas como Farm, Cavallera e Cantão.

– Um dos projetos sociais mais relevantes do Ceará, a Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, tem o objetivo de promover a formação educacional a formação de crianças e jovens, em cursos de gestão cultural. As aulas são divididas em programas sobre memória, comunicação, artes e turismo e o objetivo é preservar o patrimônio histórico e cultural da região, com atividades lúdicas e culturais.

– Passe pelo menos uma manhã, visitando o Museu de Paleontogia de Santana do Cariri, é administrado pela Universidade Federal do Ceará. O espaço, criado na década de 1980, apresenta um acervo de mais de 3.000 peças de fósseis do período cretáceo, há aproximadamente 110 milhões de anos. São dinossauros, pterossauros, lagartos, peixes, tartarugas, rãs, mosquitos, plantas e pedaços de árvores.

O museu é aberto para visitas de terça à sábado, de 08:00hs às 16:00hs e aos domingos de 08:00hs às 14:00hs.

– Veja o por do sol no Geossítio Pontal de Santa Cruz, é deslumbrante e está localizado a 4 km de Santana do Cariri, na estrada que dá acesso ao topo da Chapada do Araripe. Para quem quiser se aventurar pode subir a trilha que leva até a Capela e a Grande Cruz, há uma crença popular que a cruz foi construída para proteger de assombrações que habitavam o lugar.

5. Passe 1 manhã no Arajara Park: Parque ecológico, temático e aquático. Ecológico porque é uma reserva particular do patrimônio natural e temos um compromisso de preservar esta área. Temático porque no período Cretáceo essa região era mar e na Chapada viviam os pterossauros, representado pela logomarca do parque e Aquático pelas piscinas, toboáguas e brinquedos aquáticos construídos para dar mais diversão, numa região que faz calor todo o ano.

Assim surgiu o Arajara Park, inaugurado em 21 de abril de 2002 e reconhecido como uma das atrações mais famosas do destino turístico do Cariri.

No Arajará tem arvorismo, tirolesa, trilha, caminhadas, piscinas e toboáguas, restaurante, pesque e pague, campo de futebol, playground.

Horário de Funcionamento:

Sábados, Domingos e feriados nacionais* das 9h às 17h

*em alguns meses abrimos outros dias da semana (ver calendário)

Gostou, ainda tem mais acompanhe nosso blog e veja outras experiências de viagem.

Dicas do Cariri

Onde ficar:

Iu-á Hotel – Juazeiro do Norte

Pousada Soldadinho do Araripe – Santana do Cariri

Panorama Hotel – Juazeiro do Norte

Imperial Palace Hotel – Juazeiro do Norte

Encosta da Serra – Crato

Parque

Arajara Park – Santana do Cariri

Onde comer

Euroville – Santana do Cariri

Pau D’arco – Crato

Tabuleiro da Carne – Juazeiro do Norte

Taberna da Carne – Juazeiro do Norte

Esquina Malu – Juazeiro do Norte

Eventos Imperdíveis

– Romaria Nossa Senhora das Candeias – Janeiro

– Festa do Pau da Bandeira em Barbalha – Entre maio e junho

– Expocrato – Julho

– RockCordel – Julho

– Semana do Folclore do Crato – Agosto

– Festa do Padre Cícero – Novembro

Sharing is caring!

Last modified: 5 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *